Por que parece que sempre repito o mesmo padrão nos meus relacionamentos?

Ontem, em uma conversa de grupo de What’sApp, uma pessoa contou uma situação mais ou menos assim: ela tem uma amiga, amiga irmã, de meia idade, que foi casada com um alcoólatra. Separou-se. Depois dele, todos os namorados ou pretendentes possuíam, também, algum tipo de vício. E que a amiga cansou de se relacionar.

Quando li o relato, este me tocou… sabia que poderia ajudar… já atendi mulheres em situações semelhantes… já conheço essa dinâmica nos sistemas.

No grupo, fica um pouco difícil de responder. Conversei um pouco mais no privado, mas, mesmo assim, fiquei com vontade de ajudar outras mulheres… falar um pouco mais deste assunto.

Porque você, que está lendo, pode também conhecer uma mulher que passou ou passa por uma situação parecida.

Pode-se observar, do relato, que a mulher em questão possui um padrão de homens: todos possuem vício.

Vou abordar este assunto pela visão da Constelação Familiar. A Constelação mostra o que está oculto em um sistema familiar. Traz à tona o que a mente não consegue perceber sozinha e mostra a real origem dos conflitos.

O que é o vício?

“O vício

Torna-se viciado aquele a quem falta algo. Para ele, o vício é um substituto.
Como curamos um vício em nós?
Reencontrando aquilo que nos falta.
Quem ou o que falta no caso de um vício?
Geralmente é o pai.
Ninguém é capaz de sentir-se inteiro e completo sem seu pai.
Sendo assim, o vício é a ânsia de reencontrar o que foi perdido e, com a sua ajuda, sentir-se são e restabelecido.
Contudo, por ser apenas um substituto, o vício não é capaz de satisfazer essa necessidade. Por isso prossegue. Prossegue sem o pai.” (Hellinger, Bert, “A cura”, Editora Atman).

Então, no caso apresentado acima, os homens com os quais ela se relacionou estão sentindo a falta do pai e tentam preencher esta falta com vícios (fumo, álcool, drogas etc.).

Dizemos que são homens que estão com o masculino desequilibrado, porque falta nele o pai.

E porque algumas mulheres têm esse tipo de padrão (relacionar-se com homens com o masculino desequilibrado)?

Ela está num movimento de fidelidade invisível ao pai. É muito provável que tenha ouvido falar mal do pai: por ele estar ausente, por ter abandonado a mãe ou sei lá qual o motivo. Houve uma desvalorização do masculino no sistema (na geração atual ou em gerações anteriores).

Quando, no sistema, mulheres se julgam superiores a homens (ou vice-versa), isto gera desequilíbrio na relação, que deveria ser entre iguais, o que cria desarmonia, tanto do feminino quanto do masculino.

Assim, essa mulher, por fidelidade ao pai (isto é inconsciente), é atraída por homens que estão com o masculino,  também, desequilibrado (desempregados, Don Juan, viciados, alcoólatras etc.).

A equação é mais ou menos assim: a mulher, com o feminino desequilibrado, relaciona-se com  homem, cujo masculino, também, está desequilibrado.

Pergunta: como ela pode sair desse ciclo de repetição de padrão?

Resposta: reconciliando-se com sua mãe.

Aí você me diz: não entendi!. Você não falou que era uma fidelidade invisível ao pai? E agora fala em reconciliar com a mãe?

Exatamente. Reconciliar-se com a mãe é o primeiro passo para a mulher harmonizar-se com o feminino.

E quando ela estiver com seu feminino harmonizado, aí sim, poderá relacionar-se com homens que tenham o masculino harmonizado.

Você agora pode perguntar: e como fazer isso? Minha resposta é fazer sua Constelação Familiar, método que uso e acho extremamente eficiente, pois analisa cada sistema, com suas dinâmicas peculiares, e inclui o excluído.

Talvez, com este texto, você já tenha começado a entender algumas coisas! Deixe abaixo os seus comentários, dúvidas e compartilhe com aquela amiga que precisa.

Com carinho,

Devika Souza

2 comments to “Por que parece que sempre repito o mesmo padrão nos meus relacionamentos?”

You can Deixe uma resposta or Trackback this post.
  1. Delma Henriques Ferreira - 3 de março de 2019 Responder

    Bom dia! Recebi esse texto de uma amiga, o qual me chamou a atenção para um problema familiar que está passando de geração a geração. Na minha família há muito conflito de relacionamentos resultando em separação, como por exemplo eu e meus irmãos (uma irmã e um irmão), nos casamos e nos separamos. Nosso pai era alcóolatra, mas minha mãe não se separou dele.

    • Suprema Luz - 11 de março de 2019 Responder

      Olá, Delma, grata pelo seu comentário. Que bom que você já identificou uma repetição de padrão na sua família. A Constelação familiar não é linear, não tem resposta pronta, é necessário analisar cada sistema para ver qual é a razão e assim dar um passo, caso o cliente queira e o sistema permita, em uma nova direção. Logo, caso você queira realmente sair desse padrão do seu sistema familiar é importante você fazer a sua Constelação.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.